colli sala aula 700

Optativa livre MAP2003 - Panoramas da Matemática pretende tornar a matemática mais próxima de alunos de outras áreas e cursos da USP. Fora da universidade, o programa Embaixadores da Matemática oferece palestras gratuitas de alguns de nossos professores em escolas públicas ou particulares de ensino médio

 

Imagine uma disciplina aberta a qualquer estudante de graduação da USP, independentemente da faculdade ou instituto, cujo tema fosse matemática. Nesse curso, a sala seria composta por pessoas das mais diversas áreas: ciências humanas, exatas e biológicas. Cada aula seria ministrada por um professor diferente, explorando sempre novos temas, muitos deles até então sem espaço inclusive nas grades dos cursos de exatas. O debate seria estimulado, bem como as atividades práticas. Nos tempos da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL), cursos como o de Física, Química, Matemática e Estatística, Biociências, Geociências, Psicologia e Filosofia eram estreitamente ligados por possuírem, em suas grades curriculares, disciplinas em comum. Após a Reforma Universitária, em meados dos anos 1970, esses cursos se separaram para a criação de Institutos e Faculdades autônomas, o que acabou dificultando a existência de disciplinas interunidades.

Foi com base nessa ideia de maior integração entre as áreas do conhecimento que o Diretor do IME, Prof. Clodoaldo Ragazzo, junto com outros professores do instituto, conceberam uma nova disciplina oferecida como optativa livre para a USP. Com o intuito de criar um ambiente mais interdisciplinar no instituto, foi criada a disciplina MAP2003 - Panoramas da Matemática. O objetivo da matéria é introduzir alguns conceitos básicos de Matemática a alunos da USP não necessariamente ligados aos cursos de exatas.

E parece estar dando certo: a primeira turma da disciplina, iniciada no segundo semestre de 2016, já lotou e cerca de 1/3 dos alunos matriculados são da área de humanas. Os cursos são diversos: existem alunos de Direito, Letras, Audiovisual, Filosofia, dentre outros. A maior parte da sala ainda é das exatas, com alu-nos do Bacharelado do MAP ou da Poli, mas até para esses estudantes vários assuntos explorados em aula (como Matemática e Mágica e Teo-ria dos Nós) são novidade.

Segundo o professor Eduardo Colli, um dos responsáveis pelo curso, as aulas são ministradas cada dia por um professor diferente: “cada aula tem um professor convidado para falar de um assunto. São palestras ampliadas, vamos dizer assim, e o que conta é a participação dos alunos, o fato deles estarem aí vendo coisas diferentes”.

Renato Rodrigues, estudante de Letras, é um dos matriculados na disciplina, que conheceu ao procurar optativas livres oferecidas no IME: “Nos últimos tempos, tenho tido o interesse em voltar a estudar matemática, em conhecer áreas da matemática que não são tão difundidas na escola. Por isso decidi procurar alguma optativa no IME, encontrei essa, li a ementa e resolvi me inscrever”. O estudante ainda ressalta a importância do oferecimento de disciplinas interdisciplinares na USP: “Uma das coisas mais importantes da universidade como instituição de ensino é proporcionar um ambiente de integração entre suas áre-as de estudo. Eu acho importantíssimo que haja iniciativas para aproximar os estudantes das diferentes faculdades e institutos da USP”.

 

corda 400 

 

 

Conteúdo originalmente publicado no Acontece no IME, número 38, de setembro de 2016.