CAEM - Centro de Aperfeiçoamento do Ensino de Matemática

Calendário de Oficinas

Nesta página você encontrará a agenda de oficinas programadas para o 2º semestre de 2019.

Fique atento às datas das oficinas e aos prazos para matrícula.

Clique aqui para saber como se inscrever em nossas oficinas

Palestra

Diferentes estratégias para o ensino de Análise Combinatória no Ensino Médio

Saiba mais

(Não é necessária inscrição prévia)

Datas: 07/11 (5a feira)

Horário:14h Taxa:Gratuita

Local:Auditório Jacy Monteiro - Bloco B (IME−USP)

Prof. Claudio Possani (IME−USP)


Imagem Palestra 1

Resumo: Nesta palestra apresentaremos duas propostas diferentes de abordagem do tópico Análise Combinatória no Ensino médio, ambas compatíveis com a Base Nacional Comum Curricular BNCC. Uma é a estratégia de basear o estudo da Análise Combinatória apenas no Princípio Fundamental da Contagem dispensando as fórmulas de Permutações, Arranjos, Combinações etc. A outra é a clássica e tradicional, com todos os conceitos e fórmulas usuais. Além de apresentar as duas abordagens, vamos compará-las, discutindo contextos onde cada uma pode ser a melhor opção à disposição do professor.

Oficina 1 - (Finalizada)

Saiba mais
Construção e utilização de um pantógrafo em aulas de Geometria

Datas: 10, 17 e 24/08 (sábados)

Horário: 9h às 12h

Profa. Dayene Ferreira dos Santos (Mestranda do programa MPEM do IME−USP)

Profa. Vera Helena Giusti de Souza (IME - USP)


Oficina 1

Resumo: Nosso objetivo é oferecer uma oportunidade aos professores participantes de conhecerem e explorarem uma engenhosa ferramenta de desenho - o pantógrafo - de modo que sua utilização em sala de aula possa enriquecer as aulas de Geometria. Com base nas ideias defendidas pela Educação Matemática Realística de Freudenthal, as atividades propostas na oficina tentam promover a "matematização" de alguns conceitos matemáticos como semelhança de triângulos, razão e proporção, entre outros, por meio da construção e da utilização de um pantógrafo. Essas atividades foram desenvolvidas com foco em alunos de 9° ano do EFII e 1° ano do EM e pretendemos discutir com os participantes se e como pode ser uma abordagem possível. Para tanto, vamos inicialmente apresentar e orientar a construção de um exemplar do pantógrafo, que poderá ser usado para realizar as atividades propostas em sequência.

Duração: 9 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio.

Número de vagas:50

Taxa: R$ 40,00

Professores da rede pública: R$ 20,00

Oficina 2 - (Finalizada)

Saiba mais
Trabalhar competências com a utilização do Geogebra em tarefas desafiadoras

Datas: 21 e 28/08 (4as feiras)

Horário: 14h às 17h

Profa. Ana Paula Jahn (IME - USP)


Oficina 2

Resumo: O objetivo principal desta oficina é a realização e discussão de atividades matemáticas que permitem aos alunos o desenvolvimento de diversas competências. Será proposto um olhar sobre situações e objetos da vida real no ambiente de geometria dinâmica do GeoGebra. O processo de construção e investigação, focado nas propriedades matemáticas que estão na base das ferramentas do GeoGebra, permite uma abordagem de conceitos e objetos matemáticos com um caráter mais exploratório, envolvendo aplicação, raciocínio e resolução de problemas. Nesta oficina, serão propostos exemplos de tarefas desafiadoras, a serem realizadas no Geogebra, que apostam no desenvolvimento de competências envolvidas no pensamento matemático, tais como: observar, relacionar, experimentar, elaborar e validar (ou não) conjeturas – de forma experimental ou conceitual – identificar erros e refletir sobre eles a fim de refinar suposições, entre outras. Algumas tarefas permitem uma iniciação à modelagem matemática em Geometria.

Duração: 6 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio.

Número de vagas:30

Taxa: R$ 40,00

Professores da rede pública: R$ 20,00

Oficina 3 - (Finalizada)

Saiba mais
Atividades “mão na massa” – iniciação às idéias da Estatística

Datas: 11/09 (4a feiras)

Horário: 14h às 18h

Oficina 3

Resumo: Até poucas décadas atrás, objeto de discussão somente em nível de pós-graduação e/ou graduação, a Estatística, usada para tomada de decisão em presença da incerteza, está atualmente mais presente na sala de aula da escola básica brasileira, formalmente colocada através dos documentos oficiais que regem esse nível de escolaridade e do livro didático. No entanto a oferta desse conteúdo ainda é feita de modo instrumental, sem conexão nem com exemplos práticos e nem com dados gerados pelos alunos. Vamos examinar algumas atividades a serem feitas em sala de aula (Fundamental II ou Médio) antes da apresentação formal do conteúdo da disciplina, o que poderá ser o gatilho para o interesse do aluno.

Duração: 4 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental II, do Ensino Médio ou de outras áreas interessadas.

Número de vagas:50

Taxa: R$ 20,00

Professores da rede pública: R$ 10,00

Oficina 4 - (Finalizada)

Saiba mais
Estudo das Fractais e interação entre Geometria e Álgebra

Datas: 13 e 20/09 (6as feiras)

Horário: 14h às 17h

Profa. Ruth Ribas Itacarambi (CGIEM - Grupo Colaborativo de Investigação em Educação Matemática)


Oficina 4

Resumo: Discutir a consideração de Mandelbrot: "Nuvens não são esferas, montanhas não são cones, continentes não são círculos, o som do latido não é contínuo e nem o raio viaja em linha reta", na escola básica, por meio de situações problema contextualizados e construções geométricas.

Duração: 6 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio.

Número de vagas:50

Taxa: R$ 40,00

Professores da rede pública: R$ 20,00

Oficina 5 - (Finalizada)

Saiba mais
Perspectiva na arte e na prática com o software Geogebra 3D

Datas: 14/09, 21/09 e 05/10 (sábados)

Horário: 09h às 12h

Profa. Maria Elisa Esteves Lopes Galvão (IME−USP e Universidade Anhanguera)

Prof. Vera Helena Giusti de Souza (IME−USP)


Oficina 5

Resumo: A partir de uma seleção de obras de arte de diferentes períodos, podemos estudar a evolução das técnicas de representação plana de figuras espaciais, com o objetivo de identificar as origens e as técnicas básicas para essa representação. Uma familiarização com as ferramentas do software GeoGebra 3D possibilita o trabalho nesse ambiente com algumas das técnicas da construção da representação em perspectiva, justificadas pela Geometria de Posição. Discutiremos atividades que podem ser desenvolvidas em sala de aula da Educação Básica.

Duração: 9 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio.

Número de vagas:30

Taxa: R$ 40,00

Professores da rede pública: R$ 20,00

Oficina 6 - (Finalizada)

Saiba mais
Origami: ensinando matemática por meio das dobraduras

Datas: 17/09 (3a feira)

Horário: 14h às 18h

Profa. Margareth Yahagi

Prof. Rogério Osvaldo Chaparin (CAEM-IME-USP)


Oficina 6

Resumo: Nessa oficina vamos abordar "o origami e suas possibilidades no ensino da matemática". O objetivo da oficina é oferecer aos participantes a oportunidade de experimentar modos de manipular o papel e realizar construções de objetos por meio da técnica do origami a fim de explorá-la como recurso no ensino da matemática.

Duração: 4 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental e Médio.

Número de vagas:50

Taxa: R$ 20,00

Professores da rede pública: R$ 10,00

Oficina 7 - (Finalizada)

Saiba mais
Drogas na escola: o que professores e professoras de Matemática têm a ver com isso?

Datas: 27/09 e 04/10 (6as feiras)

Horário: 14h às 17h

Resumo: A Escola de Aplicação da FEUSP tem um programa de prevenção às drogas. Formado por professores(as) das mais diversas disciplinas, o EAPREVE promove atividades, disciplinares ou não, nas quais alunos e alunas têm a oportunidade de refletir sobre diversas questões referentes ao uso de drogas. Nesta oficina, inicialmente estudaremos documentos oficiais e o que trazem de informações sobre a prevenção às drogas nas escolas. Entenderemos como é a atuação dos membros do EAPREVE na Escola de Aplicação. Estudaremos a classificação e tipos específicos de drogas, bem como atividades a serem utilizadas em sala de aula. E, em seguida, serão apresentadas e vivenciadas algumas atividades específicas de Matemática, relacionadas ao tema “drogas”, voltadas para alunos do 2o ciclo do Ensino Fundamental, envolvendo números positivos e negativos, proporções, estatística e geometria (tangram).

Duração: 6 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio, bem como coordenadores pedagógicos, diretores de unidades.

Número de vagas:50

Taxa: R$ 40,00

Professores da rede pública: R$ 20,00

Oficina 8 - (Finalizada)

Saiba mais
Quebra-cabeças, conversas numéricas e um caminho para a Flexibilidade Numérica

Datas: 28/09 (sábado)

Horário: 08h30 às 12h30

Prof. Jean Carlo Paes Rocatelli (Mestrando do programa MPEM do IME−USP)

Profa. Barbara Carominas Valerio (IME−USP)


Oficina 8

Resumo: Estudos realizados com alunos de 7 a 13 anos mostram que crianças que interagem com os números de maneira flexível e conceitual, atribuindo significados às operações e aos números, mostram um melhor aprendizado e desenvolvimento na matemática. Partindo desta ideia, essa oficina pretende discutir o significado de flexibilidade numérica e senso numérico, apresentando algumas noções importantes desses dois conceitos. Durante toda a oficina serão propostas conversas numéricas, quebra-cabeças numéricos, dentre outras atividades que caminham nessa abordagem, incentivando um raciocínio flexível e capaz de traçar relações significativas na matemática.

Duração: 4 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental I.

Número de vagas:50

Taxa: R$ 20,00

Professores da rede pública: R$ 10,00

Oficina 9 - (Finalizada)

Saiba mais
Atividades de Geometria para o Ensino Fundamental: uma exploração via Geogebra

Datas: 23/10, 30/10 e 06/11 (4as feiras)

Horário: 14h às 17h

Oficina 9

Resumo: Nesta oficina, exploraremos tópicos de Matemática voltados para o Ensino Fundamental II tais como congruência e semelhança de triângulos, quadriláteros, circunferência, arcos e ângulos, áreas, teorema de Pitágoras e transformações geométricas elementares. Mostraremos que o software Geogebra é um recurso com enorme potencial para criar ambientes de experimentação, investigação, elaboração de conjecturas, validação de resultados e, até mesmo, situações de provas de teoremas. Ainda discutiremos estratégias de uso desse aplicativo em sala de aula, mesmo em ocasiões em que o professor não dispõe de um laboratório de informática.

Duração: 9 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental II.

Número de vagas:30

Taxa: R$ 40,00

Professores da rede pública: R$ 20,00

Oficina 10 - (Finalizada)

Saiba mais
Ensino de Estatística: atividades e recursos multimídia

Datas: 26/10 (sábado)

Horário: 8h30 às 12h30

Prof. Thiago Picos (Mestrando do programa MPEM do IME−USP)

Prof. Marcos Nascimento Magalhães (IME−USP)


Oficina 10

Resumo: Apresentar e discutir o conceito de variabilidade e várias atividades para serem desenvolvidas com estudantes da Educação Básica. Estatística na escola e na sociedade. Presença dos conceitos de variabilidade e de aleatório em inúmeras situações do cotidiano. Atividades práticas em Estatística. Recursos multimídia.

Duração: 4 horas

Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio.

Número de vagas:50

Taxa: Gratuita

Oficina 11 - (Finalizada)

Saiba mais
Vamos (re)discutir estratégias didático-metodológicas para o Ensino de Frações?

Datas: 4 e 11/11 (2as feiras)

Horário: 14h às 17h

Paulo Henrique Marçal M Souza (Licenciando em Matemática do IME - USP)

Prof. Rogério Osvaldo Chaparin (CAEM-IME-USP)


Oficina 11

Resumo: Em geral, mesmo nos anos finais da Educação Básica, as frações sempre foram vistas como um grande problema para os estudantes. Segundo (BERTONI, 2009), frações tem sido um assunto temido, mal compreendido, mal aprendido. E, por conta dessa imensa dificuldade dos alunos com as frações, os professores de Matemática se “desdobram” para encontrar estratégias para obter sucesso ao ensinar este temido conteúdo.Para esta oficina pretendemos explorar o assunto, iniciando pelo desenvolvimento histórico da noção de fração vivido pela humanidade, partindo para a construção do sentido numérico e analisando diferentes possibilidades que permeiam o ensino de frações de maneira a apresentar opções didático-metodológicas que possam tornar o aprendizado deste tema mais significativo para os alunos.
Bertoni, Nilza. Pedagogia. Educação e linguagem matemática IV: frações e números fracionários. PEDEaD. Brasília: Universidade de Brasília, 2009. 95p.

Duração: 6 horas

Público-alvo: Professores de Matemática da Educação Básica e Alunos da Licenciatura.

Número de vagas:50

Taxa: Gratuita

Oficina 12 - (Finalizada)

Saiba mais
A sequência e a espiral de Fibonacci, a razão e a espiral áureas e suas ocorrências na natureza e aplicações

Datas: 09/11 (sábado)

Horário: 08h30 às 12h30

Oficina 12

Resumo: Esta oficina tem a intenção de apresentar vários aspectos interessantes da Matemática para alunos do Ensino Médio e Professores de Matemática e Ciências. Serão explorados os seguintes tópicos: a espiral e a sequência de Fibonacci; biografia de Fibonacci; generalização da sequência de Fibonacci; convergência; limite; a razão áurea, sua dedução e propriedades; frações e raízes contínuas; espirais logarítmicas; biografia de Jacob Bernoulli; espirais áureas; ocorrências na natureza: plantas, caramujos, galáxias espirais; proporções áureas no corpo humano e na pintura; o retângulo e o triângulo áureos na geração de espirais; razões áureas no pentagrama; uso da proporção áurea em objetos; instrumentos para geração de proporções áureas; aplicação na Odontologia.

Duração: 4 horas

Público-alvo: Professores que ensinam Matemática; interessados em geral.

Número de vagas:50

Taxa: R$ 40,00

Professores da rede pública: R$ 20,00

Oficina 13 - (Inscrições abertas)

Saiba mais
Integração da calculadora científica na prática docente, através da abordagem TPACK

Datas: 23 e 30/11 (sábado)

Horário: 09h às 12h

Prof. Jalman Alves de Lima


Oficina 13

Resumo: Considerando a questão “Como integrar a calculadora científica em sala de aula como um instrumento de aprendizado, sob perspectiva de formação de professores? ”. O objetivo desta oficina é apresentar uma discussão sobre a integração da calculadora científica na prática docente, para além da inserção, fundamentada no Conhecimento Tecnológico e Pedagógico do Conteúdo – TPACK. Queremos propor uma discussão aos professores sobre a inclusão e integração da calculadora científica como recurso didático no ensino, para além da inserção. Esta oficina prática tem como finalidade principal pôr os docentes em situações de aprendizado, com estudo do roteiro de aula “Qual a melhor aposta?”, apoiados no uso da calculadora e experimentem o significado dessas vantagens para a sala de aula. Esperamos que ao término desta oficina tenhamos contribuído na discussão sobre o uso da tecnologia e a sua inclusão e integração nos currículos tornem as situações de ensino e aprendizagem mais enriquecedoras. As calculadoras científicas estarão disponíveis na oficina.

Duração: 6 horas

Público-alvo: Professores do Ensino Médio.

Número de vagas:50

Taxa: R$ 40,00

Professores da rede pública: R$ 20,00