Logotipo do CAEM
 
 
      

Oficinas programadas para o primeiro semestre de 2018


Leia com atenção os procedimentos de inscrição.
As inscrições serão confirmadas pela ordem de envio da documentação necessária e do comprovante de pagamento (no caso das oficinas pagas).

Datas e Horários
Descrição
Oficina 1

03/03
(sábado)

das 09h às 12h e das 13h30 às 16h30
Ensino de Programação e Conceitos de Ciência da Computação no Ensino Médio
Prof. Fabio Kon (CCSL - IME - USP)
Prof. Nelson Posse Lago (CCSL - IME - USP)
Prof. Rodrigo Assirati Dias (Colégio Dante Alighieri)
Profa. Lucy Mari Tabuti (Instituto de Educação Criativa)

Resumo: Nosso objetivo é discutir a importância de se oferecer uma disciplina optativa de programação no Ensino Médio e as possibilidades profissionais e de prosseguimento nos estudos que essa disciplina permitiria. Discutiremos experiências em outros países e no Brasil e apresentaremos formatos nos quais essa disciplina poderia ser oferecida, bem como explicaremos como os professores poderiam se capacitar para ministrá-la. Em seguida, apresentaremos uma proposta concreta de material didático multimídia de acesso livre e gratuito baseado na linguagem Python que poderá ser adotado por professores interessados. Finalizaremos a oficina com uma parte prática no laboratório, onde as ferramentas e o material didático serão apresentados.

Duração: 6 horas
Público-alvo: professores de Matemática de Ensino Médio.
Número de vagas: 50 (Oficina no CEC)
Taxa: R$ 40,00
Professores da rede pública de ensino: R$ 20,00
Oficina 2

10, 17 e 24/03
(sábado)

08h30 - 12h30
Números e operações na transição do 5o para o 6o ano
Profa. Barbara Corominas Valério (IME - USP)
Prof. Cláudia Cueva Candido (IME - USP)

Resumo: Nesta oficina iremos abordar, por meio de atividades envolvendo números e operações, algumas ideias fundamentais do ensino fundamental I: os significados das operações aritméticas e dos algoritmos usuais, o conceito de fração e operações entre outras. A partir das atividades, pretende-se promover discussões sobre estratégias de ensino e aprendizagem, potencial da análise dos erros dos alunos e sobre a necessidade de mudança da linguagem matemática, a fim de que professores adquiram segurança para orientar seus alunos a passarem pela fase de transição e prosseguirem no estudo dos temas próprios do Ensino Fundamental II.

Duração: 12 horas
Público-alvo: professores dos ensinos Fundamental I e II.
Número de vagas: 40
Taxa: R$ 40,00
Professores da rede pública de ensino: R$ 20,00
Oficina 3

15 e 22/03
(5as feiras)

14h - 17h
Exploração da calculadora científica como recurso didático no Ensino Médio
Prof. Jalman Alves de Lima

Resumo: Queremos propor uma discussão aos professores sobre a inclusão da calculadora científica como recurso didático no Ensino Médio. Esta oficina prática tem como finalidade principal colocar os docentes em situações de aprendizado, apoiados no uso da calculadora e que experimentem o significado dessas vantagens para a sala de aula. Esperamos que, ao término desta oficina, tenhamos contribuído para a discussão sobre o uso da tecnologia e inclusão de problemas reais nos currículos do Ensino Médio e tornem as situações de ensino e aprendizagem mais enriquecedoras. Usaremos uma calculadora científica específica que será disponibilizada aos participantes para a realização da oficina, desenvolvida de acordo com as necessidades e interesses do currículo do Ensino Médio. Nenhuma experiência prévia de calculadoras científicas será assumida.

Duração: 6 horas
Público-alvo: Professores que ensinam Matemática.
Número de vagas: 40
Taxa: R$ 40,00
Professores da rede pública de ensino: R$ 20,00
Oficina 4

16 e 23/03
(6as feiras)

14h - 17h
Drogas na escola: o que professores e professoras de Matemática têm a ver com isso?
Prof. Ernani Nagy de Moraes (Escola de aplicação da FEUSP)

Resumo: A Escola de Aplicação da FEUSP tem um programa de prevenção ao consumo de drogas. Formado por professores das mais diversas disciplinas, o EAPREVE promove atividades, disciplinares ou não, nas quais os alunos têm a oportunidade de refletir sobre diversas questões referentes ao uso de drogas. Nesta oficina, inicialmente estudaremos documentos oficiais e o que trazem de informações sobre a prevenção às drogas nas escolas. Entenderemos como é a atuação dos membros do EAPREVE na Escola de Aplicação. Estudaremos a classificação e tipos específicos de drogas, bem como atividades a serem utilizadas em sala de aula. E, em seguida, serão apresentadas e vivenciadas algumas atividades específicas de Matemática, relacionadas ao tema “drogas”, voltadas para alunos do 2º ciclo do Ensino Fundamental, envolvendo números positivos e negativos, proporções, estatística e geometria (tangram).

Duração: 6 horas
Público-alvo: Professores de Matemática dos ensinos Fundamental II e Médio.
Número de vagas: 40
Taxa: R$ 40,00
Professores da rede pública de ensino: R$ 20,00
Oficina 5

04, 11 e 25/04
(4as feiras)

14h - 17h
Estimativa em sala de aula: o caso do conceito de área no ensino fundamental
Profa. Cristina Cerri (IME - USP)
Prof. Renato Martins (Colégio Objetivo e Escola Estadual Senador Filinto Muller)

Resumo:A medição está presente em todos os aspectos sociais da vida humana desde a origem das civilizações até a atualidade, onde seu uso é indispensável para realizar todo tipo de atividades comerciais e cotidianas. Contudo, frequentemente não nos damos conta disso. Por exemplo, as seguintes questões envolvem uma comparação, uma medição ou uma estimativa da medida relativa a alguma grandeza: quanto tempo falta para passar o próximo ônibus? Quem está mais longe? Os Parâmetros Curriculares Nacionais PCN (BRASIL, 1997), apontam que ao trabalharmos com o bloco das grandezas e medidas devemos privilegiar a prática de estimativas em lugar de memorização, sem compreensão de fórmulas. No caso de medidas de áreas de superfícies planas, em muitas situações cotidianas não necessitamos de um valor exato, pois para tomar uma decisão basta uma estimativa ou o valor aproximado de uma grandeza. Contudo, estudos mostram que os alunos têm dificuldades de compreender o conceito, em parte pelo excessivo uso de fórmulas para cálculo de medidas de áreas. O objetivo principal desta oficina é discutir a influência da estimativa para a compreensão da noção de área. Para tal, iremos propor atividades com o objetivo de desenvolver a habilidade de estimar medidas de áreas nos mais diferentes contextos.

Duração: 9 horas
Público-alvo: Professores de Matemática dos ensinos Fundamental II e Médio
Número de vagas: 40
Taxa: atividade gratuita
Oficina 6

07 e 14/04
(sábados)

09h - 12h
Perspectiva na arte e na prática: técnicas básicas de representação com o uso do software GeoGebra.
Profa. Vera Helena Giusti de Souza (IME-USP)
Maria Elisa Esteves Lopes Galvão (Universidade Anhanguera de São Paulo e IME – USP)

Resumo: A partir de uma seleção de obras de arte de diferentes períodos, podemos estudar a evolução das técnicas de representação plana de figuras espaciais, com o objetivo de identificar as origens e as técnicas básicas para essa representação. Uma familiarização com as ferramentas do software GeoGebra 3D possibilita o trabalho nesse ambiente com algumas das técnicas da perspectiva, na construção de algumas representações e em atividades que podem ser desenvolvidas em sala de aula da Educação Básica.

Duração: 6 horas
Público-alvo:Professores que ensinam Matemática.
Número de vagas: 20 (oficina no CEC)
Taxa: R$40,00
Professores da rede pública de ensino: R$20,00
Oficina 7

28/04
(sábado)

09h - 12h
A Matemática dos Nós
Prof. Eduardo Colli (IME-USP)

Resumo: O tema dos nós e enlaces, do ponto de vista matemático, é uma boa maneira de mostrar que a Matemática vai muito além do que é visto no currículo escolar. O incrível é que dá para falar desse assunto usando cordinhas e experimentando à vontade! Na primeira parte da oficina apresentaremos o contexto histórico da Teoria dos Nós e suas ligações com outras ciências. A noção de invariante, exemplificada com a propriedade de tricolorabilidade. Na segunda parte da oficina faremos exercícios práticos de familiarização e tricolorabilidade.

Duração: 3 horas
Público-alvo: Professores dos ensinos Fundamental II e Médio.
Número de vagas: 40
Taxa: R$20,00
Professores da rede pública de ensino: R$10,00
Oficina 8

05 e 12/05
(sábados)

09h - 12h
Meninas e Matemática
Profa. Andreia Lunkes Conrado (Doutoranda na FEUSP)
Profa. Christina Brech (IME - USP)

Resumo: Inicialmente proporemos algumas dinâmicas para sensibilizar os participantes sobre os diversos privilégios e os estereótipos e vieses inconscientes. Por exemplo, o "jogo do privilégio" e o vídeo "Science: it's a girl thing!" poderão ser usados para provocar um debate sobre o tema. Posteriormente, faremos uma apresentação de dados e estudos sobre a forma como crianças, adolescentes e adultos lidam com a Matemática e seu aprendizado, no Brasil e em outros países. Discutiremos os papeis da família, da escola e da sociedade nesta construção, incluindo aspectos como a violência doméstica e a proporção de mulheres em carreiras de exatas e em cargos de poder etc. Discutiremos os fatores que definem este quadro e as possíveis soluções no âmbito das práticas educativas.

Duração: 6 horas
Público-alvo: Professores que ensinam Matemática.
Número de vagas: 40
Taxa: R$40,00
Professores da rede pública de ensino: R$20,00
Oficina 9

08 e 15/05
(3as feiras)

19h - 22h
As transformações geométricas no Ensino Médio: uma proposta via translações e reflexões relativas a pontos no plano cartesiano (oficina no período noturno)
Profa. Barbara Corominas Valério (IME - USP)
Prof. Ramon de Souza Martins (Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo)

Resumo: Nesta oficina pretendemos explorar as possíveis potencialidades de se trabalhar com as transformações geométricas no Ensino Médio, via estudo das translações e reflexões em relação a ponto. Este estudo será feito analisando o comportamento destas isometrias no plano cartesiano, utilizando resultados básicos da geometria analítica.

Duração: 6 horas
Público-alvo: Professores de Matemática dos Ensinos Fundamental e Médio.
Número de vagas: 40
Taxa: R$40,00
Professores da rede pública de ensino: R$20,00
Oficina 10

17/05
(5a feira)

14h - 17h
Jogos, apostas e paradoxos em probabilidade
Prof. Miguel Natalio Abadi (IME - USP)

Resumo: Nesta oficina pretendemos apresentar a história dos seguintes jogos: jogo dos pontos de Pascal e Fermat; paradoxo dos dados de Gauss; o problema de Monthy Hall e o Jogo de Penney. Faremos perguntas (aparentemente) idênticas com respostas bem diferentes e simularemos situações computacionais, por meio de elementos lúdicos, para observar empiricamente os resultados.

Duração: 3 horas
Público-alvo: Professores de Matemática dos Ensinos Fundamental e Médio.
Número de vagas: 40
Taxa: R$20,00
Professores da rede pública de ensino: R$10,00
Oficina 11

19/05
(sábado)

09h - 12h
O computador a papel - uma ferramenta educacional para ensinar os princípios básicos do funcionamento de um computador
Prof. Valdemar W. Setzer (IME - USP)

Resumo: Esta oficina tem a intenção de mostrar como funciona um computador no nível lógico da linguagem de máquina. Para isso, montaremos um teatrinho com os participantes, onde cada um simulará uma unidade dos circuitos de um computador. Um programa, cujas instruções são escritas sob a forma de texto em tabuletas, será inserido na "memória" do computador. Em seguida, um participante que faz o papel do processador central (CPU) começará a interpretar o programa, e os participantes terão que descobrir o que o programa executa. Em seguida será introduzida uma linguagem de máquina (a linguagem mais básica usada por qualquer computador) extremamente simples, do computador hipotético HIPO, codificando as instruções que estavam em forma de texto. Esta oficina parte do projeto Embaixadores da Matemática do IME.

Duração: 3 horas
Público-alvo: Professores de Matemática do Ensino Médio.
Número de vagas: 40
Taxa: R$20,00
Professores da rede pública de ensino: R$10,00
Oficina 12

26/05
(sábado)

14h - 18h
A variabilidade existe e faz parte da vida
Prof. Marcos Nascimento Magalhães (IME - USP)

Resumo: Nesta oficina pretendemos preparar o professor para apresentar e discutir ideias sobre o conceito de variabilidade com estudantes da Educação Básica. Serão abordados os seguintes tópicos: Estatística na escola e na sociedade; presença dos conceitos de variabilidade e de aleatório em inúmeras situações do cotidiano e atividades práticas.

Duração: 3 horas
Público-alvo: professores de Matemática do Ensino Médio.
Número de vagas: 50
Taxa: atividade gratuita
Oficina 13

05 e 12/06
(3as feiras)

14h - 17h
Um estudo sobre os tipos de pavimentação do plano
Ingrid Caroline da Rocha Machado (Aluna do curso de Licenciatura em Matemática do IME-USP)
Orientação: Prof. Marcos Alves dos Santos (CAEM - IME - USP)

Resumo: Desde a antiguidade mosaicos e pavimentações estiveram presentes na cultura artística de diversos povos, estabelecendo forte relação entre padrões estéticos e geometria. O trabalho do artista holandês M C Escher é um belo exemplo desse misto envolvendo arte e ciência. Um olhar mais detalhado em suas obras revelam não somente o uso frequente de transformações geométricas do plano como também o emprego de um número limitado de pavimentações, o que nos faz levantar a seguinte pergunta: além dos 17 tipos de pavimentação utilizados por Escher, haveria outras maneiras de pavimentar um plano? Nesta oficina, com o auxílio do trabalho desse artista e de mosaicos diversos, exploraremos as isometrias planas - rotação, translação, reflexão e reflexão transladada - na tentativa de buscar uma resposta para tal pergunta, propondo atividades que despertem o interesse pela geometria de forma mais lúdica.

Duração: 6 horas
Público-alvo:
Número de vagas: 40
Taxa: atividade gratuita
Oficina 14

09 e 16/06
(sábados)
09h - 12h
Letramento Algébrico na escola básica
Profa. Ruth Ribas Itacarambi (CGIEM - Grupo Colaborativo de Investigação em Educação Matemática)

Resumo: Nesta oficina pretendemos apresentar o que é letramento na língua portuguesa, na Matemática e na álgebra. Também iremos refletir sobre as diferentes concepções de álgebra e como elas interferem na sala de aula da Escola Básica. Analisaremos as propostas do ensino da linguagem algébrica nas orientações curriculares: PCNs e BNCC para a Escola Básica.

Duração: 6 horas
Público-alvo: Professores que ensinam Matemática
Número de vagas: 40
Taxa: R$40,00
Professores da rede pública de ensino: R$20,00
Oficina 15

23 e 30/06
(sábado)

09h - 12h
Origami: ensinando geometria por meio das dobraduras
Profa. Margareth Yahagi
Profa. Mariza Satomi Harada Kitamura (Escola Municipal Olavo Fontoura)
Prof. Rogério Osvaldo Chaparin (CAEM - IME - USP)

Resumo: Esta oficina tem como objetivo principal utilizar origami como recurso didático na sala de aula. De forma lúdica e criativa podemos dar significado para conceitos básicos da geometria. A arte de dobrar papel pode contribuir para o desenvolvimento de habilidades cognitivas como: observação, concentração, esforço, enfim, estimula a imaginação e a criatividade dos alunos.

Duração: 6 horas
Público-alvo: Professores de Matemática dos Ensinos Fundamental e Médio.
Número de vagas: 40
Taxa: R$40,00
Professores da rede pública de ensino: R$20,00


Rua do Matão, 1010 sala 167 - bloco B
05508-090 - São Paulo - SP
Brasil
E-mail: caem@ime.usp.br
Telefone e Fax: (11) 3091-6160