UMA INTRODUÇÃO SIMPLES AO LIVRO
A FILOSOFIA DA LIBERDADE DE RUDOLF STEINER

AVALIAÇÕES DE PARTICIPANTES

Valdemar W. Setzer
Membro da Sociedade Antroposófica no Brasil
www.ime.usp.br/~vwsetzer – esta versão: 23/8/19

Nesta página encontram-se, em ordem cronológica reversa, todas transcrições de avaliações de participantes desta palestra (a partir de 20/9/18), conforme escreveram no One-minute paper: [1] Coisa mais importante aprendida; [2] Maior dúvida que ficou; [3] Comentários. Os originais estão à disposição para exame. Note-se que nem todos os participantes entregam as avaliações. Respostas a algumas dúvidas, e comentários, são marcados com RESP.

Ver a descrição da palestra e a apresentação em ppt usada nela.

4. 16/8/19 na Escola Aldeia Akatu - Pedagogia Waldorf, para professores, pais e interessados, Campinas, SP; info: Solange Costa contato atarrob solangecosta.com.br

  1. [1] A importância de desenvolvermos a fraternidade. Percepção diferente de conceito. [2] O fato da memória não ser puramente cerebral, seria o grande empecilho no avanço sobre doenças degenerativas (Alzheimer, Corea de Hungtington)? RESP.: As doenças degenerativas são processos físicos; o cérebro é necessário para refletir os processos mentais para a consciência.
  2. [1] Que é importante a "busca constante" sobre o que está à nossa volta. Exercitar o pensar/o meditar. Fraternidade, uma conquista constante. [2] Dúvidas ... [3] Adorei suas palavras tão carregadas de experiência e amor. Um presente que permanecerá por mto tempo em meu coração e pensamento. E o desejo de buscar cada vez mais a compreensão do outro e da natureza. Abraços e mais abraços.
  3. [1] Pensar o pensamento. [2] Várias pois estou iniciando na Antroposofia. [3] Vamos pensar mais fraterno.
  4. [1] Precisamos desenvolver a fraternidade. [2] Dúvida p. q. veio de graça a Liberdade e igualdade. [3] Esta palestra poderia começar pelo final, inerente ao tema. RESP.: Acho que a humanidade não precisou fazer força para desenvolver o senso de liberdade e igualdade, ele foi dado por um desenvolvimento 'natural'. Parece-me que isso foi causado por um desenvolvimento da percepção do Eu alheio. Mas tenho a impressão de que não receberemos do mesmo modo a fraternidade, como uma dádiva. Teremos que conquistá-la, sublimando o egoísmo. Antes de falar de liberdade, igualdade e fraternidade, é importante caracterizar o que é livre arbítrio.
  5. [1] Conceitos diversos: liberdade, pensamento, criatividade, liberdade, igualdade, fraternidade etc. [2] Algumas dúvidas sobre questões matemáticas, físicas e outros de exatas, já que sou de humanas (rs). [3] Agradeço muito a oportunidade de ouvi-lo e gostaria de poder contar um dia com uma palestra na escola municipal que trabalho em Valinhos, onde já esteve anteriormente, inclusive. RESP.: Sim, já estive em Valinhos várias vezes; as duas últimas palestras nessa cidade foram no colégio Porto Seguro. Mas já dei também no jardim Waldorf EcoAra, e também na EMEB Luiz Antoniazzi. É só convidar...
  6. [1] O mais importante foi o conceito do pensar e finalizando com a fraternidade. [2] Mente e memória. [3] Gostei muito da palestra pois veio com conceitos vivos e claros, trazendo para os dias atuais a ideia de Steiner. RESP.: Na minha concepção, a memória faz parte da mente.
  7. [1] Aprendi sobre o pensar. [3] Muito bom e agradável, agora posso o livro.
  8. [1] Que preciso desenvolver a fraternidade. [2] Como eu decido o que pensar? [3] Gostei muito da palestra. RESP.: Você decide o que pensar se escolher um tema e concentrar seu pensamento nele, observando, com o pensamento, aquilo que está pensando. Como eu disse, no pensamento consciente pensa-se sobre o pensar.
  9. [1] Livre-arbítrio está na vontade. [2] Pensar sobre pensar #- não é esvaziar a mente? Com a vontade enfraquecida perde-se livre arbítrio. RESP.: Para esvaziar o pensar, é preciso pensar no que se está pensando, e impedir qualquer imagem ou som interior. Mas se pode pensar sobre uma tema escolhido, e concentrar o pensamento nele, inclusive elaborando-o; durante esse processo, pensa-se sobre o que se está pensando, sem esvaziar a mente. Esvaziar a mente significa eliminar o que a humanidade mais desenvolveu, isto é, a capacidade de pensar.

3. 3/12/18 para um grupo de estudos do livro A Filosofia da Liberdade e demais interessados, São Paulo, SP; info: angela.valente.atarrob yahoo.ca (partindo do item 11 Criatividade, da apresentação em ppt)

  1. [1] Fraternidade/altruísmo como forma de evolução. [2] Livre arbítrio existe ou tem um determinismo natural. [3] Agradecimento aos conhecimentos dados que me motivaram para questionar muitas coisas. RESP.: Se não houvesse livre arbítrio não conseguiríamos concentrar o pensamento e determinar o próximo, algo que tem que ser vivenciado por cada pessoa. Seria impossível fazer algo simples como uma conta de soma armada. O pensamento é justamente o instrumento pelo qual podemos vivenciar o livre arbítrio. A partir dele, podemos agir livremente.
  2. [1] Sobre a fraternidade, que ainda precisamos desenvolver. [2] Pensar sobre o pensar. [3] Acho que essa aula teria que ter mais vezes. É um assunto que tem que ser estudado muito. Gosto muito porque consigo aprender um pouco, digo pouco porque tenho dificuldades com o cognitivo. Mas hoje, muitas coisas ficaram claras. RESP.: O pensar é uma atividade muito especial no universo. Como vimos na primeira parte, é a única atividade em que o objeto da ação, o pensamento, pode identificar-se com a própria ação (pensar). Quanto a dar essa palestra mais vezes, estou à disposição, aguardando convites.
  3. [1] Ganhamos como "graça" a igualdade e a liberdade, mas não a fraternidade. [2] Dúvida no campo do materialismo, sobre a matéria em si. [3] Ótimos pontos e questões levantadas para reflexão. RESP.: Sim, penso que a fraternidade deverá se desenvolvida conscientemente; é preciso preparar os jovens para isso por meio da educação, por exemplo da cooperação e não da competição, e da vivência do sofrimento humano. Eu disse que temos a vivência absolutamente clara da matéria, no entanto a Física destruiu a conceituação sobre ela; não se sabe o que é um átomo. Os modelos da física quântica são incompreensíveis, como o spin das partículas, os "saltos quânticos" instantâneos e a não-localidade. Uma coisa que esqueci de dizer é que hoje em dia estima-se que 95% da matéria e da energia no universo sejam "matéria escura" (que não se sabe o que é, e que faz com que certas galáxias não se desgarrem devido à sua alta rotação) e "energia escura" (idem, e que faz com que o universo se expanda aceleradamente).
  4. [1] A intuição como fruto da pergunta sem [?] focar na resposta. Perceber liberdade (passado), igualdade (presente) e fraternidade (futuro) [2] Como fazer ciência para o humano... [3] Querendo muito mais palestras como essa. RESP.: Uma ciência para o humano tem que necessariamente ser espiritualista. Leia meu artigo "Ciência, religião e espiritualidade" em
    www.ime.usp.br/~vwsetzer/ciencia-religiao-espiritualidade.html
    Quanto a mais palestras, é só convidar e programar. Posso dar em qualquer ambiente, desde que haja um número razoável de participantes.
  5. [1] Que a memória é ilimitadas e portanto não pode ser física. [2] Que não existem ondas eletromagnéticas. [3] Prazer ouvi-lo. Excita a vontade de estudar para entender melhor Rudolf Steiner. A finalização sobre o tema liberdade-igualdade- fraternidade foi muito interessante pela força que produziu! RESP.: Eu disse que a nomenclatura "onda eletromagnética" está errada, pois "onda" é um conceito da física clássica, mas no caso das tais "ondas eletromagnéticas" o âmbito é atômico, onde a física clássica não é válida. Eu disse que "onda" requer um meio para propagação, como as moléculas da água movimentadas por uma pedra lançada num lago. Mas no caso das "ondas eletromagnéticas" pode não existir esse meio, pois se propagam no vácuo. Uma "onda eletromagnética" comporta-se como onda ao interagir com a matéria.
  6. [1] O livre arbítrio está no querer. [2] Como exercer o livre arbítrio e reconhecer que é consciente. [3] Muita gratidão pelo esforço do professor. RESP.: Para exercer o livre arbítrio, procure reconhecer em alguns momentos que você poderia fazer coisas diferentes. Pense em cada possibilidade e decida conscientemente qual caminho tomar, sem se deixar levar por gostos, medo, ansiedade etc. Exercícios de concentração mental e de meditação (eu faço uma clara distinção entre eles) desenvolvem o livre arbítrio, pois não há nada que imponha que se os faça. Posso dar uma oficina sobre esses temas, veja
    www.ime.usp.br/~vwsetzer/pals/concentr-medit-resumo.html
  7. [Pessoa que não é participante do grupo de estudos.] [1] "O pensar o pensar". [2] Como exercer, desenvolver, o exercício que me leve a pensar o pensar. [3] Há variadíssimos pontos que me estimularam a um trabalho no futuro. Nem sei por onde começar!! São tantos!!... Por exemplo: amor altruísta tem de ser exercido em liberdade, vindo do livre arbítrio resultando na fraternidade; o conceito de cooperação e não competição; dificuldade: ter consciência no momento da diferença do pensar racionall, dointuitivo e do livre. Estou muitíssimo grata por me ter incluído nesta maravilhos, proveitosa palestra. Quem em dera ficar no Brasil para poder desfrutar de mais ocasiões como esta! Bem que me faria bem! RESP.: Sempre que ser faz um exercício de concenrtração mental ou de meditação está se pensando sobre o pensar, pois é preciso ficar atento ao que se pensa, e essa atenção é feira pelo pensar. Steiner chama a atenção que para pensar sobre o pensar não é necessário nada além do pensar! Sim, o exercício do amor altruísta só pode ser exercido em liberdade, sem nenhum impulso de satisfação pessoal, de cumprimento do dever ou de objetivos pessoais, só pelo que Steiner denominou de "amor à ação".

2. 8/10/18 20h00, para um grupo de estudos do livro A Filosofia da Liberdade e demais interessados, na R. Ubaíra 40, esq. com R. dos Eucaliptos, Moema, São Paulo, SP; info: angela.valente.atarrob yahoo.ca (apenas até o item 10 Compreender, da apresentação em ppt)

  1. [1] O pensar é instrumento do livre arbítrio. [2] A compreensão é uma atividade superior do pensar. [3] Mais tempo para trocar ideias. RESP.: Eu caracterizei a compreensão como sendo a associação de uma representação mental com o conceito correto correspondente. Na verdade, eu devia ter acrescentado que uma falta de compreensão é a incapacidade de se fazer essa associação. Finalmente, uma compreensão incorreta é a associação com um conceito que não é correto, isto é, não é o conceito subjacente à representação mental. Quanto ao tempo, eu estava preocupado em terminar no horário que me foi dado. Se eu soubesse que haveria a possibilidade de continuar em outra reunião, como ficou combinado no fim, teria ido mais devagar e feito mais perguntas.
  2. [1] O pensar como ponte. [3] Devemos fazer as vivências das teorias propostas sistematicamente. O tempo deve ser devotado à compreensão do tópico vivenciado, mesmo que não se consiga chegar ao fim da obra. RESP.: Nessa palestra eu não cubro toda a obra "A Filosofia da Liberdade". Pincei alguns tópicos que considero essenciais, e ainda adicionei outros que não estão na obra.
  3. [2] A compreensão. [3] Tenho dificuldades de compreender.
  4. [1] Os conceitos não são físicos. [2] A ilusão do julgamento é que nos engana e não a ilusão óptica (?). [3] Aula extraordinária porém complexa. RESP.: Tentei mostrar que a ilusão de óptica é na verdade a associação de uma percepção com um conceito errado. Por isso penso que não há ilusão de óptica, e sim de julgamento, incentivado por uma percepção visual.
  5. [1] A complexidade das relações do pensar e suas correlações com a percepção na sua mais variável amplitude dos órgãos dos sentidos e do sentir. O significado do "conceito" no pensar. [3] Apresentação com síntese clara e agradável em algo tão elaborado.
  6. [2] Sobre o movimento/decisão de fazer o movimento, preciso entender melhor. RESP.: O essencial é que depois de se decidir conscientemente fazer um movimento, por exemplo com um braço, o movimento em si é totalmente inconsciente. Não se sabe como da decisão chega-se ao movimento. Um outro exemplo é uma reação involuntária, inconsciente: um impulso que leva a uma ação sem passar pelo pensar.
  7. [1] O sentido do pensar no "livre arbítrio". [2] Qual é o conceito correto da compreensão. O que é certo e correto? RESP.: Existe uma essência de qualquer objeto, o seu conceito, e ele não é físico. Compreende-se um objeto quando se associa, por meio do pensar, a percepção dele com o conceito subjacente a ele. Se a associação for com outro conceito, ela não é correta. Vou dar um exemplo na continuação na próxima reunião.

1. 20/9/18, para membros do Ramo Sophia da Sociedade Antroposófica no Brasil e interessados, na Paineira Escola Waldorf, São Pedro, Juiz de Fora, MG; info: Fernando Andrade fernandoandrade2014.arrob gmail.com

  1. [1] A distinção entre conceitos tais como compreensão, decisão, conceito, sentimento e sensação... [2] Sobre livre arbítrio. [3] Excelente abordagem, clareza nas explicações sobre assunto que parece tão abstrato. Inspirou-me como e o que trabalhar com ingressantes do ensino superior. Além de me impulsionar a pensar sempre. Obrigada. RESP.: O livre arbítrio não pode ser provado, deve ser vivenciado, como eu expliquei. Por outro lado, para se compreendê-lo é preciso ter uma conceituação da constituição humana suprassensível. Como eu disse, o livre arbítrio não faz sentido do ponto de vista materialista, pois a matéria segue as leis físicas inexoravelmente, pois se assim não fosse nenhuma máquina funcionaria. Eu tenho uma teoria de como algo não físico pode atuar fisicamente sem violar as "leis" e condições físicas; veja o item 6 de
    www.ime.usp.br/~vwsetzer/espiritualista.html
  2. [1] Precisamos ter o conceito para enxergar. Dicas/disponibilidade de material para ajudar a concentrar e meditar. Pensar nos problemas para intuir. [2] Não está relacionado à palestra: O que o Sr. pensa sobre "viver de luz"? Como estaria relacionado ao etérico, e o astral? [3] Muito obrigada. RESP.: Sobre meditação, o melhor livro que tenho a recomendar é o do Arthur Zajonc, "Meditação como indagação contemplação", da Ed. Antroposófica. Uma outra possibilidade é convidar-me para uma oficina sobre concentração mental e meditação... Não cabe aqui discorrer sobre a constituição suprassensível do ser humano. Quanto a "viver de luz", não tenho experiência ou leitura sobre o assunto. De qualquer modo, se isso for possível a pessoa tem que ter um fantástico desenvolvimento moral e espiritual.
  3. [1] Desenvolver a fraternidade. [2] Aprofundar mais a Filosofia da Liberdade. [3] Muito bom tê-lo conosco. RESP.: Estude o livro! (Cuidado, use a tradução do Alcides Grandisoli.)
  4. [1] Amor em ação. [2] A ilusão do julgamento pode interferir no sentimento? Eu posso "enganar" meu sentimento? [3] Gratidão. RESP.: Não conseguimos interferir no nosso sentimento imediatamente; ele pode ser educado ao longo do tempo. Quem pode enganá-lo é justamente o sentimento. Por exemplo, encontrar uma pessoa pela primeira vez e sentir uma antipatia muito grande por ela. Não se deixando levar pelo sentimento e fazendo um contato com ela, pode-se descobrir que o sentimento estava errado, talvez devido a uma associação com a aparência de outra pessoa que lhe fez mal.
  5. [1] Buscar estar mais consciente nas ações, para ser livre. Também achei bem bom o ponto sobre o querer, desenvolver para querer o que se quer. [2] Sobre crises de personalidade decorrente da meditação. RESP.: Sim, ser livre é querer o que se quer, isto é, quando o querer está de acordo com a cosmovisão que se tem do mundo, isto é, quer-se o que se deveria querer.
  6. [1] Que há um pensar intuitivo, pois para mim o pensar sempre estava relacionado a algo racional, para mim era incompatível o pensar e a intuição... Mas ainda preciso pensar muito sobre isso, ou intuir sobre isso, ou pensar intuindo será melhor!!! RESP.: Na palestra, eu citei que às vezes temos intuição de algo sem pensar sobre o assunto. Dei o exercício de pensar profundamente sobre um problema, muitas vezes, sem procurar a solução, pois essa procura estará usando o pensar abstrato, e não o pensar intuitivo.
  7. [1] Sobre o livre arbítrio. [2] Liberdade, fraternidade e igualdade. [3] Foi muito bom ter uma nova percepção sobre o que é liberdade. RESP.: Sobre Liberdade, fraternidade e igualdade, convide-me para dar a palestra "A organização social antroposófica aplicada individualmente."
  8. [1] Il piú importante concetto oggi é il rifletere e pensares su como attuare qualsiasi situazione. Tanto nel livre arbítrio quanto il seguire leggi e regole. [2] Il dubio che rimane é cosa faró domani per migliorare e di agire in societá. [3] Vorrei assorbire molto di piú. Tanto di Antroposofia quanti de concentrazione. RESP.: Un miglioramento dovrebbe essere il risultato di una profonda comprensione di ciò che un essere umano è e come dovrebbe svilupparsi. Lo trovi ampiamente in Antroposofia. Oggigiorno è fondamentale eseguire esercizi di concentrazione mentale, perché la vita ordinaria ci sta facendo perdere...