I.A. - 'Inteligência' artificial ou imbecilidade automática?
Os computadors podem pensar e sentir?

Valdemar W. Setzer
Departamento de Ciência da Computação, IME-USP
www.ime.usp.br/~vwsetzer – esta versão: 17/10/19

AVALIAÇÕES DE PARTICIPANTES

Nesta página encontram-se, em ordem cronológica reversa, transcrições (somente a partir de 17/10/19) das avaliações de participantes desta palestra, conforme escreveram no One-minute paper no fim da mesma, respondendo: [1] Coisa mais importante aprendida; [2] Maior dúvida que ficou; [3] Comentários. As partes ilegíveis são anotadas com [?]. Os originais estão à disposição para exame. As avaliações desta palestra começaram a ser coletadas e transcritas aqui a partir de 17/10/119. Ver na Internet o resumo da palestra (com material necessário etc.), artigo, artigo sobre problemas da I.A, e a apresentação em ppt, apresentação mais recente. Respostas às dúvidas expressadas pelos participantes e outras observações estão precedidas por RESP.; infelizmente elas têm que ser breves.

1. 17/10/19, no 5º Congresso Internacional de Secretariado (COINS), São Paulo; info: Eduardo Souza eduardo_arrob develop.org.br

[1] Fiquei muito satisfeita e pude perceber que a tecnologia ajuda e muito mas nunca substituirá o ser humano. [2] Qual a melhor forma de inserir uma inteligência artificial na rotina do secretariado. [3] Queria ter a oportunidade de assistir a outras palestras do Professor Valdemar. RESP.: Não posso sugerir nem mesmo uma forma de inserir algo de inteligência artificial no secretariado. Talvez fosse interessante conversar com um especialista que já fez várias implementações. O pessoal de computação de sua empresa poderia experimentar o TensorFlow da IBM em alguma área, que deveria ser escolhida conjuntamente com as secretárias. Quanto a minhas palestras, é só convidar! Veja as que tenho dado em
https://www.ime.usp.br/~vwsetzer/pals/pals-cursos.html
e as mais recentes, que têm apresentações em
https://www.ime.usp.br/~vwsetzer/apresentacoes/
Mas posso dar outras.

[1] Computadores nunca atingirão as capacidades humanas. [2] Sobre aguardar a intuição para tomar decisões. O que alimenta o inconsciente são as experiências prévias... Se elas não foram (no passado) tão eficientes, as decisões não poderão ser ineficientes? [3] O senhor deixou um gostinho de "quero mais!". Obrigada pela excelente palestra. RESP.: Depende da capacidade. Os primeiros computadores já tinha ultrapassado as capacidades humanas de fazer cálculos. Quanto a decisões, às vezes é necessário tomar logo uma decisão, e não há tempo para esperar que uma seja encontrada por intuição; nesse caso, é necessário usar o raciocínio abstrato. Numa de minhas hipóteses de trabalho, as intuições não dependem apenas de experiências prévias. Já uma solução a algum problema, obtida por intuição, não é algo já pensado anteriormente. É muito importante fazer como o grande mestre em xadrez: ter a intuição de uma solução, mas em seguida verificar racionalmente se ela é válida.

[2] Qual sua opinião sobre usar da internet e aplicativos na vida dos homens? [3] Fantástica sensibilidade de entender o humano e não valorizar a máquina. RESP.: Em minha opinião, a tecnologia pode ser bem empregada se o for com muita consciência, com muito conhecimento do impacto da tecnologia no indivíduo e na sociedade (o que exige um conhecimento profundo do que são o ser humano e sociedade), e descarte de alternativas sem tecnologia. Infelizmente, esse tópico vinha mais adiante na palestra. RESP.: Sobre o uso da Internet, veja a resposta anterior. Mas gostaria de acrescentar algo em relação a ela: em geral, a Internet não está sendo dominada, ela está dominando. Por issoem 2018 25% dos jovens brasileiros entre 15 e 19 anos eram viciados nela, isto é, não conseguem parar de usá-la. Quando a tecnologia domina o ser humano, ele transforma-se em máquina, pois as máquinas todas tratam o ser humano como máquina.

[1] Confiar mais na minha intuição. [2] Sobre dúvidas. [3] Pena que não teve mais tempo. RESP.: Eu não disse que se deveria confiar mais na intuição, eu disse que se deve usar muito mais a intuição, que é um tipo de pensamento diferente do usual, racional abstrato. Mas a intuição deve servir de uma sugestão, que deve ser verificada se é válida usando o pensar racional e os sentimentos. Acho que se eu tivesse 2 horas teria completado tudo o que tinha planejado (foi a primeira vez que dei essa palestra dessa forma). O problema é que tenho muita coisa e muita vivência para contar, e penso que se me ativesse apenas aos conteúdos estritos a palestra seria monótona.

[1] As máquinas nunca vão substituir o ser humano. Sentimentos são + importantes. [2] Sem dúvidas. [3] Sucesso. Muito grata pelos ensinamentos. Certeza de levarmos para a vida. RESP.: Depende da substituição. Por exemplo, usar robôs para a limpeza de centrais nucleares certamente é uma coisa muito positiva, devido à radiação que existe em todas elas.

[1] Livro Inteligência Emocional. Inteligência social. * Sensibilidade social. Perceber o outro. Interesse pelo(a) outro(a). * Compaixão e com alegria. Sentir o outro. Sofrer com o outro. Alegrar-se com o outro. * Ação social. Fazer algo pelo outro. Sentir responsabilidade. RESP. Mil desculpas, eu devia ter usado o gênero feminino!

[1] Sentimentos e livre arbítrio. [3] Parabéns, excelente explanação.

[1] Diferença entre o homem e máquina. (convencimento sobre a profundidade da diferença). [2] Não houve. [3] Entusiasmo do professor para passar o conteúdo. RESP.: Todas as palestras e aulas deveriam ser dadas com entusiasmo, pois ele se transmite ao público.

[1] A máquina não poderá substituir o homem. [2] + tempo. [3] Professor com muito conhecimento. RESP.: Como eu já escrevi, depende. Minha tese é que não deveria substituir o ser humano em decisões que envolvem indivíduos e grupos sociais. O que se pode fazer é usar o resultado da máquina como uma sugestão, mas aí há o grande perigo de se acabar usando apenas a sugestão, e se perder a capacidade de tomar decisões.

[1] Que a empatia é a qualidade mais importante do ser humano. [2] Todas, porque gostaria de mais tempo na sua palestra... [3] Gratidão! RESP.: Eu devia ter usado a palavra empatia, obrigado por mencioná-la. Acho que a empatia está mais na região do "sentir com a/o outra/o" do que "perceber a/o outra/o".

[1] A ter sentimento, que a empatia é fundamental. [2] Não ter tempo de finalizar a palestra. [3] Uma palestra super-interessante, e o professor muito competente, e explicou muito bem. RESP.: Sim, não se deve nunca agir de maneira puramente racional - a não ser fazendo matemática! Os sentimentos sempre deveriam ser levados em conta, isto é, enriquecer os pensamentos. Mas o inverso é também verdade: não se deveria agir pelos sentimentos sem levar os pensamentos em conta, por exemplo ao se pensar nas consequências dos próprios atos. Pena que não pude falar sobre isso, é algo fundamental nas ações humanas.

[1] A Inteligência Artificial é ótima porém a humana sempre será imbatível. [2] Como podemos não permitir a inteligência artificial dominar o nosso sistema corporativo? [3] Parabéns, adorei a palestra. Super-instrutiva e construtiva. RESP.: A intuição, os sentimentos, a liberdade nos pensamentos, a intuição e a criatividade realmente são imbatíveis. Mas, p.ex., a inteligência de jogar muito bem xadrez já foi suplantada pela I.A.

[1] Desenvolvimento da Inteligência Social. [2] Como desenvolver a intuição. [3] Devia ter mais tempo para esta palestra. RESP.: Eu apresentei um método para desenvolver a intuição: pensar profundamente sobre um problema, sob todos os seus aspectos, sem pensar na sua solução, pois será um pensamento racional. Aguardar com muita calma e paciência que a solução venha por intuição.