19 Jan 2018

Semana de Computação Social

Nosso primeiro evento realizado foi a Semana de Computação Social, em novembro de 2017. Leia mais sobre as palestras e debates.

O Evento

A Semana de Computação Social foi realizada entre os dias 21 e 24 de novembro de 2017, com o intuito de apresentar o nosso grupo, recém-formado, para os estudantes, com o objetivo aproximar alunas e alunos às causas sociais e proporcionar reflexões sobre como o profissional de tecnologia pode fazer a diferença na sociedade.

Ao longo da semana, foram realizadas três palestras, sempre no horário do almoço, versando sobre temas como ética e tecnologia, educação e inclusão tecnólogica, transparência de dados públicos e hacktivismo, e organizações universitárias de cunho social. Além disso, como atividade de encerramento, realizada em parceria com o CinIME, foi exibido o documentário Code Girl sobre o desafio Technovation, seguido de uma roda de conversa. Haveria, ainda, uma palestra com a coordenação do Technovation, mas essa foi cancelada por motivos de força maior.

A programação

21/11 - Onde ética e tecnologia se encontram?, por Victor Veloso : Núcleo de Estudos em Tecnologia e Sociedade da USP

Victor Veloso é estudante de Relações Internacionais na USP e pesquisador em diferentes temas referentes a tecnologia e sociedade. Sua pesquisa envolve principalmente temas como Vigilantismo, Governança de Algoritmos, Liberdade de Expressão na Internet e Cyberwar. Foi representante da juventude brasileira no Internet Governance Forum 2016 e atualmente é estagiário na área de Direitos Digitais do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Também é um dos cofundadores e coordenadores do Núcleo de Estudos em Tecnologia e Sociedade da USP, instituição estudantil que tem como objetivo difundir e estimular o debate sobre temas ligados a tecnologia.


22/11 - O ensino de Computação em comunidades periféricas, por Gilmar Cintra : Cedesp Santa Terezinha / ProgramArte

Gilmar Cintra é aluno de Ciência da Computação da Universidade de São Paulo e trabalha como desenvolvedor web interno para o Harvard Brazil Office em São Paulo. Durante a disciplina MAC0213, atividade curricular em comunidade, desenvolveu o projeto ProgramArte, que tem por objetivo ensinar programação e suas aplicações práticas para jovens, adultos e adolescentes residentes na comunidade da Brasilândia. Pensando na parcela da população excluída da revolução tecnológica por motivos socioeconômicos, o projeto busca quebrar essa barreira e profissionalizar alguns jovens, diminuindo assim os riscos sociais e mostrando uma nova alternativa para suas carreiras profissionais.


24/11 - Painel: Iniciativas de Impacto Social

Hacktivismo de transparência de dados, por Haydee Svab : Transparência Hacker e co-fundadora do PoliGNU

Engenheira Civil com dupla formação em Arquitetura pela USP, mestra em Engenharia de Transportes (Poli-USP) e especialista em Democracia Participativa, Repúblicas e Movimentos Sociais (UFMG). Atualmente é CEO da ASK-AR, consultoria em análise de dados, conselheira no Conselho Participativo Municipal - Butantã no biênio 2016/2017, membro do Conselho Deliberativo da AEAMESP (Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô) no triênio 2017/2019. É membro da comunidade Transparência Hacker e co-fundadora do PoliGNU (Grupo de Estudos de Software Livre da Poli-USP), bem como do PoliGen (Grupo de Estudos de Gênero da Poli-USP).

► ONGs e o trabalho voluntário, por André Navarro : membro da Poli Social


24/11 - Exibição e debate sobre o filme Code Girl

O filme documenta a vida de jovens mulheres de diversos países, como Brasil, Moldávia e Estados Unidos que participaram do Google Technovation Challenge 2015. O desafio reuniu 5.000 garotas de 60 países e ofereceu um prêmio de US$ 10.000. A produção capta a viagem destas programadoras e visa destacar a falta de mulheres na indústria. De acordo com os números, mais de 80% dos desenvolvedores de aplicativos são do sexo masculino. Como toda sessão do CinIME, haverá pipoca e refrigerante grátis.