destaque avanco pesquisas map Diante da pandemia causada pelo novo coronavírus, pesquisadores do Departamento de Matemática Aplicada do IME-USP (MAP) sentiram-se desafiados a direcionar suas
linhas de pesquisa para novas investigações para o enfrentamento da doença.

O grupo de biomatemática do Departamento de Matemática Aplicada do IME-USP (MAP) vem trabalhando na modelagem de epidemias há alguns anos, com seminários regulares e colaborações com outros departamentos e institutos. O foco estava concentrado em dengue, mas com a chegada da pandemia, as pesquisas se voltaram para a Covid-19. As pesquisas de antes da pandemia já contavam com uma excelente parceria com a empresa InLoco, no contexto de exploração de dados de mobilidade para modelagem epidêmica, além de interações com diversos epidemiologistas de renome. A pandemia acelerou uma interação maior de colaborações já existentes, e assim as pesquisas evoluíram mais rapidamente.

Atualmente, alguns dos professores do MAP integram diferentes grupos de apoio científico de entidades governamentais, auxiliando na tomada de decisão e planejamento estratégico de ações. O grupo atua dentro do centro de crise do Governo do Estado de São Paulo, auxiliando com análises de dados epidemiológicos e modelos preditivos que ajudam no planejamento de médio prazo das ações do governo. O grupo também atua em um subcomitê do Comitê de Pesquisa do Consórcio Nordeste, auxiliando em análises de mobilidade e risco de disseminação da Covid-19. Na linha de monitoramento da pandemia, análises da evolução da pandemia no Brasil são divulgadas em tempo real na Folha de São Paulo, permitindo um acompanhamento dos municípios em suas fases da curva epidêmica. Análises de isolamento social são divulgados no site do grupo do MAP para mais de 4 mil municípios do país, sendo o único local onde esse tipo de dado é abertamente disponível a prefeituras e público em geral. Assim, as contribuições aparecem tanto na parte de monitoramento (evolução da pandemia e medidas de distanciamento social) quanto no auxílio de plano de ações (com modelagem epidemiológica). Essas contribuições visam reduzir o impacto da pandemia na sociedade em geral.
Além do comitê de contingenciamento do governo do estado de São Paulo, do comitê de pesquisa do consórcio Nordeste, e da Folha de São Paulo, já citados anteriormente, diversas prefeituras (incluindo consórcios) solicitam auxílio do MAP em análises de medidas de controle da pandemia ou monitoramento. O grupo também tem colaborado com outros pesquisadores para análises regionais.

 

AVANÇO DAS PESQUISAS
Atualmente o grupo de pesquisa trabalha em um modelo preditivo que acopla espacialmente os municípios de São Paulo com dados de mobilidade. Esse modelo tem sido usado no centro de crise do governo do estado, e tem se mostrado muito útil no entendimento da evolução epidêmica no estado. Além disso, o entendimento da relação entre o distanciamento social e seu efeito na velocidade de propagação da doença, ainda carece de estudos. Apesar de ser bem entendido do ponto de vista teórico, na prática os dados não refletem tão diretamente o que se conhecia sobre o assunto e o que tem-se usado em modelos de cenários. Temos trabalhado em melhorar esse entendimento, para poder esclarecer o que seria um distanciamento social ideal e seu real impacto na epidemia. Outros estudos também estão em andamento, por exemplo considerando as vulnerabilidades sociais e suas relações com a Covid-19.

 

INTERDISCIPLINARIDADE DAS PESQUISAS
A pandemia trouxe junto com a crise uma necessidade e abertura para intensas colaborações interdisciplinares. Esse tem sido o grande trunfo para lidar com a crise, pois pesquisadores do Brasil e do mundo estão hoje mais do que nunca mais abertos a colaborar. Atualmente, o grupo do MAP interage semanalmente com dezenas de pesquisadores do país e de fora, compartilhando dados e ideias.
Um resultado curioso foi uma colaboração com o Grupo de sismologia do IAG-USP, na qual foi analisada a relação de ruídos sísmicos com a mobilidade urbana (distanciamento social), publicado em uma importante revista da área de geofísica.


REPERCUSSÃO NA MÍDIA

Além da divulgação em tempo real na Folha de São Paulo, o trabalho dos pesquisadores do MAP tem tido repercussão na mídia, como a participação ao vivo do Prof. Dr. Renato Vicente no jornal Bom dia PE, da TV Globo Nordeste, com o tema Recife está no caminho para resolver crise da Covid-19, aponta pesquisador da USP e na matéria do Diário de Pernambuco, intitulada "Recife está na direção de resolver epidemia", diz professor da USP, ambas veiculadas no dia 17/07/2020.

 

Prof. Renato Vicente em participação ao vivo na Globo Nordeste

Participação ao vivo do Prof. Dr. Renato Vicente do MAP, em telejornal da TV Globo Nordeste.
Assista: http://g1.globo.com/pernambuco/videos/t/todos-os-videos/v/recife-esta-no-caminho-para-resolver-crise-da-covid-19-aponta-pesquisador-da-usp/8705649/

 

SAIBA MAIS

Mais informações e publicações sobre as pesquisas do Departamento de Matemática Aplicada do IME-USP podem ser encontradas em www.ime.usp.br/~pedrosp/covid19.

 

 



06.08.2020 | Serviço de Apoio Institucional
Texto: Prof. Dr. Pedro Peixoto
Colaboração: Luana Giacomini Barbosa
Supervisão: Marcelo Modesto Costa