A partir de 5 de outubro, alunos do ensino médio e técnico da rede pública do Estado de São Paulo terão monitoria de matemática pela internet. Inicialmente, serão disponibilizadas 60 videoaulas gravadas e outras ao vivo, exercícios e resumos teóricos. Os estudantes poderão tirar suas dúvidas on-line com monitores da USP, obter dicas de como se organizar para estudar e conversar com outros usuários em um fórum de interação.

A monitoria é destinada aos 5.593 alunos que participaram e foram premiados nas edições 2017 e 2018 da Competição USP de Conhecimentos (CUCo). O desafio integra o programa Vem pra USP!, uma parceria com a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo para valorizar os estudantes da rede pública, incentivá-los a estudar na Universidade e prepará-los para o vestibular.

Na CUCo, os alunos resolvem duas provas aplicadas pela Fuvest, a mesma fundação responsável pelo vestibular da USP. A primeira é on-line, com testes de múltipla escolha sobre conhecimentos gerais, ciências e matemática. Aqueles com melhor desempenho avançam para a segunda fase, que é presencial, e o conteúdo inclui testes de português, matemática, ciências e atualidades. Os mais bem classificados dos três anos de ensino recebem prêmios.

A monitoria será baseada em aulas disponíveis no Moodle de Extensão da USP, que o estudante premiado acessa com o número do CPF. Na plataforma, haverá exercícios prévios para testar o nível de conhecimento, um resumo teórico sobre o conteúdo de matemática, as 60 videoaulas gravadas e exercícios pós-aula com a correção.

Os vídeos foram produzidos por estudantes da Universidade que trabalham voluntariamente no Cursinho da Poli do Grêmio Politécnico. Parte das aulas foi gravada pelos professores do Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP, Pedro Luiz Fagundes e Cláudio Possani, que também vão contribuir com a elaboração de listas de exercícios.

Veja a matéria completa acessando https://jornal.usp.br/universidade/usp-oferecera-monitoria-de-matematica-a-mais-de-55-mil-alunos-da-rede-publica/

 

( texto extraído da matéria publicada pelo Jornal da USP em 03/10/2018)