Vivendo a USP: Uma parceria entre  a universidade e a escola pública

 

No próximo dia 28 de novembro, os alunos de quatro das nove escolas públicas participantes do projeto Vivendo a USP terão novo encontro marcado com os espaços e atividades da universidade.

Das 08 até as 17 horas, no Parque Cientec (Av. Miguel Estéfano, 4200, próximo ao Zoológico de SP), os estudantes participarão da ‘Gincana do Vivendo’ como ficou conhecida essa atividade de fechamento da programação de visitas à USP.

Segundo a Profa. Vera Henriques, coordenadora do projeto, “apesar das dificuldades de financiamento que tivemos ao longo do ano, nós conseguimos realizar muitas atividades com as escolas parceiras e os alunos e docentes envolvidos no projeto esperavam que fizéssemos a Gincana, que é o momento não só de ampliar os conhecimentos, mas de congraçamento e muita alegria”.      

Com o apoio financeiro da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão será possível realizar a gincana deste ano. São quatro as escolas que participarão: E.E. Francisco Eufrásio Monteiro (Sorocaba), EMEF Ernani Silva Bruno (Parada de Taipas), E.E. Mário Manoel Dantas (Ferraz de Vasconcelos) e E.E. Santo Dias da Silva (Interlagos) com mais de 240 crianças e adolescentes e 12 professores. Do lado da USP, são 25 alunos monitores, além dos educadores de diversas unidades da USP (Arte e Ciência do IF, Estação Biologia do IB, Gepeq do IQ, MAC, MAE e MAV-FMVZ) envolvidos na preparação das provas da gincana.

Desde 2011, o projeto Vivendo a USP tem atuado no sentido de trazer para a universidade a visita não só dos alunos das escolas públicas, mas também, dos docentes que previamente se capacitam nos espaços que serão visitados, para que de forma articulada com o projeto pedagógico da escola e com o seu programa de aulas, eles possam ser os facilitadores desse aprendizado. Além disso, o projeto conta com o apoio e engajamento de professores e alunos de diversos institutos e museus da Universidade, além da participação ativa do Instituto Butantã.

Há, portanto, duas vertentes: a primeira de formação, que está voltada a capacitar os professores para as visitas e, a segunda, que visa aproximar os estudantes das escolas públicas da vida universitária e dos espaços educativos não-formais como, por exemplo, os museus, institutos e o próprio parque de ciência.

Mais informações: http://www.vivendoausp.com.br/