Critérios aprovados pela Congregação do IME em 28/10/1999

Para ser candidato ao título de Livre-Docente o IME considera essencial que, após o doutoramento, o candidato evidencie uma autonomia acadêmica, exercida com destaque na sua especialidade.

Na comprovação da autonomia acadêmica acima mencionada deverão ser considerados os seguintes itens:
  1. Produção científica – expressa através da publicação regular de trabalhos de boa qualidade em veículos nacionais ou estrangeiros de padrão internacional. É desejável que o candidato mostre independência científica, em particular, relativamente ao orientador do doutorado. Nesse sentido, também se considera desejável que o candidato tenha experiência em pesquisa em instituição diferente daquela em que fez o doutorado;
  1. Atividades de orientação – expressas através da orientação de alunos de iniciação científica, mestrado, doutorado ou pós-doutorado. Serão considerados também os seminários sob responsabilidade do candidato;
  1. Atividades didáticas – expressas através da ministração de uma gama variada de disciplinas, tanto de graduação como de pós-graduação. Será considerada também a publicação de livros texto;
  1. Atividades de extensão à comunidade e de assessoria científica.
SOBRE O TEXTO SISTEMATIZADO OU TESE DE LIVRE-DOCÊNCIA

Quando o candidato optar pela sistematização de seus trabalhos, se espera que esta contenha comentários sobre os trabalhos incluídos e uma visão em perspectiva dos mesmos que inclua motivação, ligações entre os diversos trabalhos e perspectivas de desenvolvimento futuro. Deve incluir, também, uma descrição do contexto, isto é, o andamento da pesquisa na área, menção dos resultados mais relevantes de outros autores e o peso e papel dos trabalhos do candidato, no contexto geral.

Embora não seja necessário incluir demonstrações no texto, espera-se que a análise seja cuidadosa o suficiente para ser entendida por um leitor com formação na área do trabalho do candidato, mas não necessariamente especialista nos assuntos tratados especificamente.

O texto deve ser redigido em português e de autoria individual do próprio candidato.

Os trabalhos ou artigos publicados nos quais se fundamenta o texto desenvolvido podem, eventualmente, ter sido produzidos em co-autoria com outros pesquisadores e devem ser anexados em qualquer língua em que estejam escritos, podendo a Congregação solicitar ao candidato a sua tradução, caso considere necessário (Inciso II do art. 167 do Regimento Geral da USP).