Download como arquivo ICAL
Análise integrada de alterações somáticas e transcricionais em tumores de pâncreas
Sexta-feira 29 Maio 2020, 14:00
Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Candidato: Diogo Vieira da Silva Pellegrina

Orientador: Prof Dr. Eduardo Moraes Rego Reis 

Resumo

O adenocarcinoma ductal do pâncreas (PDAC) é uma neoplasia caracterizada por uma alta heterogeneidade genômica e a relação entre mutações somáticas recorrentes e os padrões de expressão gênica nestes tumores é ainda pouco caracterizada. Foi desenvolvida uma rotina computacional para processar e analisar dados do sequenciamento do exoma de 14 casos de pacientes com PDAC e identificar mutações somáticas simples (SNVs, indels). Dados de transcriptoma das mesmas amostras foram usados para montagem de uma rede de co-expressão de genes codificadores de proteína e RNAs nãocodificadores longos (lncRNAs). Análises de enriquecimento de genes foram usadas para identificar vias moleculares entre genes recorrentemente mutados, genes diferencialmente expressos ou genes localizados em módulos específicos da rede. A alta conectividade de transcritos com genes de vias moleculares específicas foi usada para inferência funcional de lncRNAs. Foram identificadas 28.683 mutações simples em 12.438 genes, incluindo 3.314 alterações somáticas já anotadas em tumores humanos e 976 genes com papel oncogênico ou supressor tumoral no PDAC. Entre 1.603 candidatos a genes “drivers” destacam-se 18 com mutações recorrentes, incluindo componentes do complexo Ubiquitina Ligase E3, fatores de transcrição, modificador de histonas, remodeladores de cromatina, transdução de sinal e apoptose. A sobreposição de vias moleculares enriquecidas em mutações somáticas e alterações transcricionais identificou 83 vias em comum, incluindo ‘Ras protein signal transduction’, ‘apoptotic process’, e ‘cell adhesion’. Para 11 genes com mutações somáticas com alta prevalência foi encontrada uma correlação entre a presença da mutação e alterações na expressão de módulos da rede. Entre esses se destaca a associação de mutações em KRAS com a expressão de módulos enriquecidos nas vias ‘Hedgehog signalling’, ‘WNT signalling’, ‘DNA repair’ e ‘Cell Cycle’, e mutações em TP53 e a expressão alterada em módulos contendo genes das vias de sinalização de ErbB. Foram também observadas associações significativas (p <1x10-4) entre a expressão gênica de módulos da rede e assinaturas mutacionais e a sobrevida dos pacientes. Foram identificados lncRNAs diferencialmente expressos no PDAC e com alta conectividade a genes associados a vias moleculares específicas como ‘Cell Adhesion’, ‘O-linked glycosylation of mucins’ e ‘DNA Repair’. Validações experimentais corroboraram a função regulatória destes lncRNAs nestas vias. A existência de casos sem mutação em KRAS e de vias em que todos os casos avaliados possuem ao menos um gene da via mutado sugerem que mutações em outros componentes destas vias possam fenocopiar o efeito oncogênico de mutações em KRAS. Este trabalho confirmou a alta heterogeneidade de mutações somáticas no PDAC e revelou novos genes “drivers” candidatos em uma amostra da população brasileira.


Palavras-chave:   Exoma, genes driver, redes de co-expressão, lncRNAs, câncer, adenocarcinoma ductal do pâncreas.

 

TRANSMISSÃO ONLINE

Em função da reorganização dos serviços da Universidade de São Paulo durante a pandemia do COVID-19, a defesa será transmitida ao público através de streaming disponível no link:

https://meet.google.com/wpe-vfsi-wtn